Aborto. Palavra que toda mulher “teme” quando planeja a sua gravidez e quando está grávida.

Mas e quando o aborto acontece? O que fazer? Quem procurar? Como recomeçar?

Hoje a Lívia compartilha conosco a sua experiência:

“Aconteceu na minha primeira gravidez. Estava radiante com o fato de estar grávida, já me sentia mãe, já fazia planos e já sonhava com o rostinho do bebê. Quando completei 7 semanas tive um sangramento e corri para o Hospital. Lá fizeram alguns exames e aparentemente estava tudo normal, porém eu precisava de repouso absoluto e fazer uso de alguns medicamentos. Com 10 semanas de gestação, durante um exame de ultrassom o médico constatou que o feto não tinha mais batimentos cardíacos e que havia parado de se desenvolver. Naquele momento o meu mundo caiu! Era impossível segurar o choro, controlar as lágrimas. Mas precisava seguir em frente, precisava tomar decisões. Como o aborto havia sido retido, precisei tomar remédio para expulsão de feto, e foi necessário me submeter a uma curetagem. Fisicamente estava bem, mas psicologicamente muito abalada. Busquei força em Deus e ajuda daqueles que estavam próximos a mim. Após a curetagem saiu o diagnóstico de que a minha gravidez era de gêmeos, porém ambos possuíam anomalias. Sabia que Deus estava comigo e que Ele iria realizar o meu sonho de ser mãe. Três meses após o aborto estava grávida da Ana Clara, hoje com 6 anos e 5 cinco anos depois veio o Davi, que hoje está com 1 ano e 7 meses”.

O aborto espontâneo é relativamente comum, e segundo especialistas acontece em 15% das gestações. Existem várias causas para isso e as mais comuns são problemas de cromossomo e má formação do feto. Sendo que nesses casos, o próprio organismo se encarrega de interromper a gravidez.

Dependendo da idade gestacional é necessário fazer a curetagem para retirada do feto. A curetagem é um procedimento utilizado para a raspagem da cavidade uterina e se faz necessário para retirada dos restos placentários de um aborto. Ela é realizada em um Hospital e com anestesia. A recuperação é rápida e a paciente pode receber alta no mesmo dia.

Após a curetagem, é recomendado que a mulher espere pelo menos um ciclo menstrual para engravidar novamente. Alguns médicos indicam que se espere até 90 (noventa) dias para que o útero se prepare para uma nova gestação.

É muito importante a mulher realizar os exames prévios, pois estes detectam problemas hormonais e infecções virais que podem levar ao aborto espontâneo. Aquilo que estiver ao nosso alcance devemos fazer.

Se você já passou ou está passando por esse momento, saiba que não é fim. Chore, desabafe, viva o seu luto, mas depois erga a cabeça e continue em frente, pois o seu momento vai chegar.

Beijos

Written by admin

    11 Comentários

Leave a Comment