Por Priscila Cirino. Mãe da Alice.

Nós mulheres para escolhermos um par de sapatos levamos horas, para decidirmos que roupa usar naquela tão esperada festa demoramos tanto que deixamos os homens de cabelos em pé. E quando temos que mudar a cor dos cabelos, fazer franja ou não, ir de jeans ou vestidinho, deixar os cachos naturais ou usar a chapinha? Tudo para mulher é sempre um pouco mais complicado diríamos assim. Se precisamos ir no shopping trocar uma peça de roupa em uma loja, somos naturalmente atraídas para os outros andares, corredores, aquele trajeto de 30 minutos se tornam 4 horas de passeio.

E não seria diferente quando temos que escolher ter bebês ou não. Porém, eu sempre esperava o momento certo, até que percebi que não somos nós que escolhemos o momento, é o momento que escolhe a gente. Vamos falar sobre isso!

A decisão de engravidar, claro é extremamente mais importantes de que qualquer exemplo citado, mas vale ressaltar que não é uma decisão que na maioria das vezes conseguimos ter com tanta facilidade. Você não vai acordar um dia e dizer: “ Hoje vou ter um bebê”. No que diz respeito da gravidez planejada ela demanda um tempo de muita conversa, diálogo, de certezas e incertezas. Também não poderia ser diferente, certo?! Estamos falando sobre uma decisão que mudará para sempre a nossa vida, e pode acreditar mudará tudo, para sempre, porém não se desespere, mudará para melhor.

Admiro mulheres práticas, bem resolvidas para a maternidade mas existem várias mulheres que não se sentem preparadas para serem mães, e se sentem inseguras. Eu também era assim, não cresci com aquela aptidão aflorada de algumas mulheres em serem mães, era algo que eu pensava muito no futuro, bem raramente e bem distante. Só que com o passar do tempo, e com o amadurecimento da minha relação com meu esposo, fui sentindo um desejo de ser mãe. Lembro que diversas vezes eu ia ao shopping e quando percebia estava na sessão de bebês, vendo roupinhas, sapatinhos e até no mercado ficava na sessão de fraldas (Louca! Mas é verdade! Rs). E então notei, que o momento de ser mãe tinha me escolhido, de maneira natural.

Somente depois disso que passei para a próxima etapa: “Amor, vamos ter um bebê?!”. Mas até dizer essa frase e interromper o método contraceptivo foram muitos diálogos, inúmeros pensamentos, sentimento de segurança, de insegurança.

Entre tantas coisas que dizem como, ter estabilidade financeira, casa própria, ter diploma de mestrado. Eu diria que independente da ordem de acontecimento dessas coisas, o mais importante para eu ter certeza que era momento, foi o casamento estar muito solidificado, o pai do futuro bebê precisa te inspirar para você tomar essa decisão importante e assim foi com o pai da Alice. Então tive a certeza que havia chegado o momento de ser mãe. É preciso mesmo em meio há tantas incertezas ter a certeza que você quer passar por isso, que é o seu desejo. Pois pronta nunca nos sentiremos (pelo menos eu não me sentia), mas eu tinha a certeza que queria virar a história da minha vida para a melhor delas, a da maternidade.

Não é regra, pois há tantas histórias e tantas mulheres! Por isso não deixem de nos acompanhar, logo falaremos sobre isso no nosso Canal no You Tube (Maternidade sem Censura) e a Livia e a Cintia também contarão o momento em que decidiram ser mãe!

Um grande beijo!

Written by admin

Leave a Comment